ELETROIMÃS

Eletroimas Circulares e retangulares

 

ELETROIMÃS CIRCULARES

Campo de aplicação

Dentre as inúmeras aplicações dos eletroímãs circulares podemos citar o transporte de chapas, bobinas, esferas, blocos e principalmente de sucata, solta ou em fardos, leve ou pesada. Reduzem drasticamente o tempo de carga, descarga, movimentação e transporte do material ferroso, proporcionando enormes ganhos de produtividade com consequente redução de custos.

 

 

Construção


Estrutura: a carcaça é construída em aço de baixo carbono e alta permeabilidade magnética. Têm grande resistência ao impacto e ao desgaste. As laterais são aletadas, proporcionando melhor dissipação térmica. As sapatas polares são intercambiáveis, permitindo fácil substituição quando as mesmas são desgastadas pelo uso. Os interpolos são fundidos em aço manganês diamagnético com nervuras radiais, que conciliam alta resistência a impactos e baixo peso.
Bobinas: construídas com condutores isolados em “Fiberglass“, “Nomex” ou “Kapton” dependendo da aplicação a que se destina o eletroímã. O encapsulamento é feito em isolante classe H, permitindo a utilização do equipamento no transporte de produtos quentes ou em ciclos pesados de trabalho, onde as condições de resfriamento não são ideais. As características mecânicas da resina isolante garantem grande resistência a choques.
Caixa de Ligações: à prova de umidade é projetada de tal forma a evitar rupturas no cabo.

Suspensão: Feita através de 3 lingas de corrente de aço, convergentes e um elo central tipo anel ou elo estelar.
Características Elétricas: a tensão operacional standard dos eletroímãs é 220 VCC. Qualquer outra pode ser feita sob encomenda. A potência varia de acordo com o porte do equipamento (vide tabela).
Painel de Comando: os eletroímãs são alimentados por um painel de comando que, além de fornecer a corrente necessária para a geração do campo eletromagnético, podem também:
a) proteger o equipamento;
b) desmagnetizar;
c) regular o fluxo magnético;

São especialmente projetados para a retificação e comando de eletroímãs, com supressores de carga indutiva e circuito de reversão para a rápida “limpeza” do eletroímã.

Equipamentos Adicionais

  • Sistemas de comando;
  • Cabo, conectores, etc;
  • Painel de comando com no-break;
  • Gerador;
  • Gerador hidráulico;
  • Enrolador de cabo;

 

ENROLADORES DE CABOS

O enrolador de cabo, também chamado de dromo, recolhe ou cede a quantia de cabo necessária à alimentação do eletroímã, de maneira automática. Ele acompanha o movimento do eletroímã sustentado pelos cabos de aço na ponte rolante ou guindaste. Ao descer, o eletroímã traz consigo o cabo de alimentação, tencionando.
É um equipamento fundamental quando se trata de garantir a perfeita alimentação elétrica do eletroímã, tendo grande influência na vida útil do equipamento e na segurança da operação, evitando que a carga se solte por corte da alimentação elétrica.
Para correta especificação, são necessários os seguintes dados:

  • Diâmetro do cabo;
  • Comprimento a enrolar (Altura);
  • Peso do cabo;
  • No. de eletroímãs a serem alimentados independentemente;
  • Modelo do eletroímã;
  • Potência.

 

Tabela EIC

 

 

 

ELETROIMÃS CIRCULARES COM GERADOR ACOPLADO

("ELETROIMÃS HIDRÁULICOS")

O “ELETROÍMÃ HIDRÁULICO” é um sistema integrado, eletroímã-gerador, adaptado para a movimentação de materiais ferrosos e sucatas.

Eletroimã Hidraulico

 

Montado à bordo do eletroímã, MAS TOTALMENTE ISOLADO NUMA CAIXA METÁLICA, existe um gerador hidráulico (ver maiores informações neste site) e um painel elétrico de comando, proteção e contra excitação, que tornam o sistema muito compacto e fácil de instalar e desinstalar.

Gerador

 

O eletroímã é completamente independente e, assim, pode ser utilizado em diversas máquinas.
O eletroímã pode ser conectado à máquina, seja através de um gancho rápido (excluso do fornecimento), seja através de correntes e anel central.
A função de magnetização e desmagnetização ocorre exclusivamente por meio do óleo hidráulico da máquina: não existem conexões elétricas! Basta apenas conectar as mangueiras de óleo da máquina onde será utilizado o eletroímã na entrada e na saída do gerador.

  • Quando o óleo está circulando, o eletroímã se magnetiza;
  • Quando se interrompe o fluxo de óleo, o eletroímã se desmagnetiza. A contra excitação automática, garante um rápido desprendimento do material.

A pressão na mangueira de saída não deve ultrapassar os 5 bar. A saída/descarga deve estar obrigatoriamente ligada ao reservatório, sem passar através de válvulas ou filtros (as mangueiras de alimentação não estão inclusas no fornecimento).

 

 

 

 

ELETROIMÃS RETANGULARES

 

Eletroimã Retangular

 

Campo de aplicação

Os eletroímãs retangulares são utilizados no levantamento e transporte de cargas ferrosas, tais como: chapas, laminados, tubos, blocos maciços, billets (quentes ou frio), bobinas, etc.

Reduzem drasticamente o tempo de carga, descarga, movimentação e transporte do material ferroso, proporcionando ganhos enormes de produtividade. Podem ser utilizados em conjunto, o que possibilita o transporte seguro de perfis e cantoneiras em feixes, chapas
longas, etc. Em muitas aplicações, devido à variedade de espessuras e comprimentos das chapas que serão transportadas deve-se utilizar uma barra de carga com braços móveis, ou seja, uma barra de carga extensível.

Exemplo: imagine uma barra de carga com 8 eletroímãs e capacidade de 10 toneladas e suponha que se deseja transportar um mix de produtos planos que contenha chapas de 6mm x 2.400mm x 12.000mm (longa e fina) e chapas de 40mm x 2.400mm x 6.000mm. Ao invés de se superdimensionar os eletroímãs centrais que atuarão no transporte da chapa de 40mm de espessura mas com apenas 6m de comprimento (curta e pesada), utiliza-se uma barra de carga extensível. A barra trabalha na posição “aberta” para “pegar as chapas longas”. E se fecha, automaticamente, para transportar as chapas curtas. Assim, utiliza-se sempre, todos os eletroímãs, independentemente do tamanho da chapa.

Eletroima com barra de carga

 

ELETROIMÃ = PRODUTIVIDADE

A grande vantagem da utilização de eletroímãs para o transporte de cargas ferrosas é justamente o grande ganho de eficiência que proporcionam.

 

Construção:

Estrutura: a carcaça é construída em aço de baixo carbono e alta permeabilidade magnética. Têm grande resistência ao impacto e ao desgaste. As laterais são aletadas, proporcionando melhor dissipação térmica. As sapatas polares são intercambiáveis, permitindo fácil substituição quando as mesmas são desgastadas pelo uso. Os interpolos são fundidos em aço manganês diamagnético com nervuras radiais, que conciliam alta resistência a impactos e baixo peso.
Bobinas: construídas com condutores isolados em “Fiberglass“, “Nomex” ou “Kapton” dependendo da aplicação a que se destina o eletroímã. O encapsulamento é feito em isolante classe H, permitindo a utilização do equipamento no transporte de produtos quentes ou em ciclos pesados de trabalho, onde as condições de resfriamento não são ideais. As características mecânicas da resina isolante garantem grande resistência a choques.
Caixa de Ligações: à prova de umidade é projetada de tal forma a evitar rupturas no cabo.

 

Suspensão: Feita através de 3 lingas de corrente de aço, convergentes e um elo central tipo anel ou elo estelar.
Características Elétricas: a tensão operacional standard dos eletroímãs é 220 VCC. Qualquer outra pode ser feita sob encomenda. A potência varia de acordo com o porte do equipamento (vide tabela).
Painel de Comando: os eletroímãs são alimentados por um painel de comando que, além de fornecer a corrente necessária para a geração do campo eletromagnético, podem também:
a) proteger o equipamento;
b) desmagnetizar;
c) regular o fluxo magnético
São especialmente projetados para a retificação e comando de eletroímãs, com supressores de carga indutiva e circuito de reversão para a rápida “limpeza” do eletroímã.

Equipamentos Adicionais

  • Sistemas de comando;
  • Cabo, conectores, etc;
  • Painel de comando com no-break;
  • Gerador;
  • Gerador hidráulico;
  • Enrolador de cabo;

 

ENROLADORES DE CABOS

O enrolador de cabo, também chamado de dromo, recolhe ou cede a quantia de cabo necessária à alimentação do eletroímã, de maneira automática. Ele acompanha o movimento do eletroímã sustentado pelos cabos de aço na ponte rolante ou guindaste. Ao descer, o eletroímã traz consigo o cabo de alimentação, tencionando-o.
É um equipamento fundamental quando se trata de garantir a perfeita alimentação elétrica do eletroímã, tendo grande influência na vida útil do equipamento e na segurança da operação, evitando que a carga se solte por corte da alimentação elétrica.
Para correta especificação, são necessários os seguintes dados:

  • Diâmetro do cabo;
  • Comprimento a enrolar (Altura);
  • Peso do cabo;
  • No. de eletroímãs a serem alimentados independentemente;
  • Modelo do eletroímã;
  • Potência.

Tabela EIR

 

 

Questionário de especificação

    Para definir o melhor eletroimã para a sua aplicação, favor responder ao questionário abaixo:
    • 1. Qual o material a ser transportado:
      (   ) Chapas         (   ) Esferas         (   ) Bobinas                        (   ) Billets            (   ) Tarugos        (   ) Tubos
      (   ) Feixes           (   ) Perfis            (   ) Sucata                          (   ) Outros - Definir:

    • 2.  Dimensões da carga                                                               
      Máximo comprimento(mm):
      Mínimo comprimento(mm):
      Máxima largura(mm):
      Mínima largura(mm):
      Máxima/Mínima espessura(mm):                /
      Máximo peso(kg):
      Dimensões da peça mais pesada                             (comp. x larg. x esp.)(mm):
      Dimensões da peça mais leve                                   (comp. x larg. x esp.)(mm):

    • 3.  Quantidade de “peças” a serem içadas (exemplo: 2 chapas, 5 billets, 4 feixes, etc.):                               
    • 4. Acabamento da superfície:                                       
      (   ) bruto             (   ) desbastado                (   ) alisado

    • 5.  Entreferro ou airgap(mm):

    • 6.  Máxima temperatura da carga (favor checar esta informação com atenção):                              ºC

    • Dados sobre a instalação:

    • 7. Temperatura ambiente:                         ºC

    • 8.  Tensão disponível:                                                                 
      (   ) 220V              (   ) 380V              (   ) 440V
      (   ) Monofásica                                (   ) Trifásica                                      
      (   ) 50 Hz             (   ) 60 Hz            

    • 9. Local da instalação:                                                                  
      (   ) ao ar livre/descoberto                          (   ) coberto                        (   ) marítimo

    • 10. Tipo de içamento:   
      (   ) guindaste                                   (   ) ponte rolante                              (   ) pórtico                
      (   ) Outros - indicar:

    • 11. Há necessidade de enrolador de cabos?                                   
      (   ) Não          
      (   ) Sim - Indique altura de instalação(m):              

    • 12. Tipo de Eletroímã:
      (   ) Circular    (   ) Retangular

    • 13. Há limitação de peso para o eletroímã:                       
      (   ) Sim - indicar:                   kg                                (   ) Não

    • 14.  Há limitação de espaço na instalação?                        
      (   ) Sim - favor utilizar o espaço “Croquis da           instalação” p/ definição das limitações.                 
      (   ) Não

    • 15.  Qual o ciclo de trabalho em 10 minutos?                    
      (   ) menor do que 5 minutos                                   
      (   ) 5 minutos aproximadamente           
      (   ) maior do que 5 minutos

    • 16. Croquis da Instalação:

    • 17) Definir as limitações de espaço e de peso do equipamento, se possível fornecer croquis da instalação.